Lei 14457 de 2022

Lei 14457 de 2022

Bem-vindo à nossa página dedicada à Lei 14457 de 2022, uma legislação que marca um importante avanço na garantia de um ambiente de trabalho seguro, saudável e livre de violência, especialmente para as mulheres. Nesta seção, vamos explorar em detalhes o que essa lei determina, seu impacto nas empresas e como sua implementação pode promover uma cultura organizacional mais ética e responsável. Acompanhe conosco para entender melhor como a Lei 14457/22 está transformando o cenário corporativo e as medidas necessárias para estar em conformidade com suas diretrizes.

Lei 14457 de 2022 Canal de Denúncias obrigatório para empresas com CIPA

Tudo que você precisa saber sobre a Lei 14457/22

O que fala a Lei 14457 de 2022?

A Lei 14457/2022, inserida no Programa Emprega + Mulheres, estabelece medidas para prevenir e combater o assédio sexual e outras formas de violência no local de trabalho.

Essa legislação torna obrigatória a implementação do Canal de Denúncias em empresas que possuem CIPA (Comissão Interna de Prevenção de Acidentes e de Assédio), visando criar um ambiente de trabalho mais seguro e acolhedor para todos os colaboradores, especialmente as mulheres.

O Canal de Denúncias proporciona um meio seguro e confidencial para relatar casos de assédio sexual e outras formas de violência, contribuindo para a promoção da integridade e respeito no ambiente corporativo.

Programa Emprega + Mulheres

O Emprega + Mulheres é uma estratégia do governo brasileiro para as mulheres no mercado de trabalho. Essa legislação, traz uma série de diretrizes para facilitar a entrada e permanência das mulheres no mercado de trabalho, ao mesmo tempo em que combate o assédio sexual e outras formas de violência no ambiente laboral.

A Lei 14457 de 2022 impõe às empresas com CIPA a obrigação de implementar um Canal de Denúncia, além de promover treinamentos e campanhas de prevenção. O não cumprimento dessas exigências pode acarretar em multas e outras penalidades, sendo fundamental que as empresas se adequem às novas regras o quanto antes.

A importância dessa legislação se estende tanto aos empregadores quanto aos colaboradores. Com um ambiente de trabalho mais seguro, ético e inclusivo, todos os envolvidos se beneficiam. A presença de um Canal de Denúncias, por exemplo, não apenas inibe práticas antiéticas, como também cria um ambiente de trabalho mais confiável e acolhedor para os funcionários.

O Ministério do Trabalho está atento à implementação dessa lei e fiscalizará rigorosamente seu cumprimento. Portanto, é essencial que as empresas estejam preparadas para seguir todas as diretrizes estabelecidas, evitando assim multas e sanções que possam prejudicar sua reputação e seus resultados financeiros.

Além disso, a Lei 14457/22 fortalece a proteção dos direitos das mulheres no ambiente de trabalho. Ao garantir medidas como a extensão da licença maternidade e a criação de um ambiente mais inclusivo e seguro, a lei contribui para reduzir a disparidade de gênero no mercado de trabalho e promover a igualdade de oportunidades.

A Contato Seguro oferece toda a assistência necessária para que as empresas estejam em conformidade com a Lei 14457 de 2022. Com nosso Canal de Denúncias e suporte especializado, as empresas podem garantir a proteção de seus colaboradores e evitar problemas legais. Não perca tempo, adeque-se à lei e proteja sua empresa com a Contato Seguro.

Lei 14.457 de 2022 | Descubra os impactos da Nova Lei CIPA na sua empresa

Nova Lei 14457/22 que determina a obrigatoriedade do Canal de Denúncias nas empresas com CIPA

A Lei 14457 traz a obrigatoriedade do Canal de Denúncias em empresas com CIPA.

Essa nova diretriz, publicada no Diário Oficial da União em 22/09/2022, faz parte do Programa Emprega + Mulheres, alterando a CLT. O prazo para implementação das medidas já passou!

Seu principal objetivo é incentivar a contratação e permanência de mulheres no mercado de trabalho.

A legislação exige que empresas com CIPA adotem medidas para prevenir e combater o assédio sexual e outras formas de violência no trabalho.

Isso inclui a implementação do Canal de Denúncias em até 180 dias após a publicação da lei, ou seja, até 22 de março de 2023.

Lei 14457/22: O que é?

A Lei 14457/22, resultado da Medida Provisória 1.116/22, cria o Programa “Emprega + Mulheres”, com uma série de regras para facilitar a empregabilidade feminina.

Entre as normativas, destaca-se a obrigação das empresas com CIPA de adotarem medidas para prevenir e combater o assédio sexual e outras violências no trabalho.

Por que o Canal de Denúncias é necessário?

É uma ferramenta para criar um ambiente de trabalho seguro e acolhedor. Pesquisas mostram que muitas mulheres sofrem assédio no ambiente profissional, e o Canal de Denúncias oferece segurança e anonimato para denunciar esses casos.

Prazo e penalidades

O prazo para cumprir a Lei 14457/22 era até 22 de março de 2023. Empresas que não cumprirem podem enfrentar multas e outras sanções do Ministério do Trabalho.

Como se adequar?

A Contato Seguro oferece uma solução terceirizada de Canal de Denúncias, com experiência e presença global. Nossa equipe especializada garante o recebimento seguro e confidencial das denúncias.

Entre em conformidade com a lei e proteja seus colaboradores. Fale com um especialista da Contato Seguro agora mesmo!

Lei 14.457/22: O prazo acabou! E agora? Saiba as consequências negativas do descumprimento e como evitá-las

A Lei 14457 foi sancionada em 22 de setembro de 2022, estabelecendo um prazo de 180 dias para que as empresas com CIPA se adequassem às novas diretrizes, incluindo a implementação obrigatória de um Canal de Denúncias.

Esse prazo se esgotou em 22 de março!

As empresas que ainda não cumpriram essas exigências estão sujeitas a consequências negativas conforme previsto na legislação.

Vamos revisitar as mudanças trazidas pela Lei 14.457/22, entender as consequências do descumprimento e aprender como agir para evitar problemas.

Mudanças da Lei 14.457/22 para as empresas

A Lei 14457/22 visa criar um ambiente de trabalho mais saudável e seguro, além de incentivar a contratação e qualificação de mulheres. Entre as mudanças obrigatórias estão:

  • Flexibilização das jornadas para pais e mães.
  • Incentivo à capacitação profissional de mulheres.
  • Normas de conduta contra o assédio no ambiente de trabalho.
  • Implementação do Canal de Denúncias.
  • Treinamentos regulares sobre esses temas.

Consequências do descumprimento

O prazo de 180 dias para se adequar à Lei 14.457/22 terminou, e o descumprimento pode acarretar multas e outras penalidades do Ministério do Trabalho.

Além do impacto financeiro, empresas em desacordo com a lei podem sofrer danos à reputação. Em tempos de redes sociais, casos de assédio expostos podem manchar a imagem do negócio.

O que fazer agora?

Para evitar problemas, as empresas precisam agir rapidamente. A Contato Seguro oferece a implementação do Canal de Denúncias em até 10 dias, além de pacotes de treinamento sobre os temas exigidos.

Fale com nossos especialistas e evite os prejuízos do descumprimento à Lei 14.457/22. Estamos aqui para ajudar!

3 dados importantes sobre a Lei 14.457/22 para você, líder!

A Lei 14457 de 2022, publicada no Diário Oficial da União em 22/09/2022, traz mudanças importantes para empresas com CIPA, exigindo a implementação do Canal de Denúncias e estabelecendo o Programa Emprega + Mulheres, com foco na prevenção do assédio e outras formas de violência no ambiente de trabalho.

Para líderes de Recursos Humanos, compreender essas mudanças é fundamental, pois elas impactarão diretamente a cultura organizacional e a gestão de pessoas na empresa.

Aqui estão 3 dados fundamentais sobre a Lei 14.457/22 que você precisa conhecer:

  1. Multas e sanções: Empresas que não se adequarem à lei podem enfrentar penalidades graves, incluindo multas significativas, indenizações por danos morais e prejuízos à reputação. É fundamental evitar qualquer forma de descumprimento para proteger tanto os colaboradores quanto a imagem da empresa.
  2. Prazo de adequação: O prazo para cumprir a lei já foi encerrado. Portanto, é importante iniciar o processo de adequação o mais rápido possível para evitar problemas futuros.
  3. Cultura organizacional igualitária: A lei promove a igualdade de gênero e incentiva uma cultura organizacional mais justa e inclusiva. Isso requer não apenas a implementação de políticas anti-assédio, mas também a realização de treinamentos e campanhas de conscientização para todos os colaboradores.

Em resumo, para cumprir a Lei 14.457/22 de forma eficaz, é essencial implementar um Canal de Denúncias confiável, realizar treinamentos abrangentes e promover uma cultura de respeito e igualdade no ambiente de trabalho. Não deixe para depois! Agora é o momento de agir e garantir o cumprimento das novas diretrizes legais.

3 erros a evitar ao preparar sua empresa para a Lei 14457 de 2022

3 erros a evitar ao preparar sua empresa para a Lei 14457 de 2022

A Lei 14457 de 2022 trouxe mudanças significativas para as empresas, e é essencial compreender e se adaptar a essas transformações. Até 21 de março de 2023, as organizações com a Comissão Interna de Prevenção de Acidentes (CIPA) precisaram adotar medidas que visam promover a contratação e a permanência das mulheres no mercado de trabalho, como:

  • Implementação obrigatória de um Canal de Denúncias, garantindo anonimato aos denunciantes e um sistema eficiente de gestão para lidar com os relatos.
  • Realização de campanhas e treinamentos de conscientização sobre prevenção e combate ao assédio sexual e outras formas de violência no trabalho, pelo menos uma vez por ano.
  • Flexibilização das jornadas de trabalho para mães e pais com filhos de até 6 anos de idade ou com deficiência.
  • Incentivo à capacitação e progressão profissional das mulheres.
  • Apoio ao retorno ao trabalho após a licença-maternidade, entre outras ações.

Porém, durante esse processo de adaptação, é essencial evitar alguns erros comuns:

  1. Erro 1: Não compreender o verdadeiro propósito da Lei 14457/22, que visa promover a inclusão e a proteção das mulheres no ambiente de trabalho, combatendo desigualdades de gênero e criando ambientes mais seguros.
  2. Erro 2: Subestimar a importância da comunicação e dos treinamentos de sensibilização para os colaboradores, essenciais para criar uma cultura organizacional consciente e respeitosa.
  3. Erro 3: Encarar o Canal de Denúncias apenas como uma obrigação legal, quando na verdade ele pode ser uma ferramenta poderosa para detectar e prevenir diversas formas de irregularidades no trabalho, além de proteger a empresa de possíveis penalidades.

Para evitar esses erros e se adequar à nova legislação, é fundamental contar com parceiros especializados, como a Contato Seguro. Eles oferecem uma solução completa de Canal de Denúncias, com tecnologia avançada, suporte especializado e treinamentos para prevenir o assédio e outras formas de violência no trabalho.

Não deixe para depois, comece já a se adaptar às novas diretrizes e proteja sua empresa e seus colaboradores.

Entre em contato com a Contato Seguro e saiba mais sobre como implementar o Canal de Denúncias mais completo e eficiente do mercado.

Líder, sua empresa está preparada para a Lei 14.457/22?

Você já se preparou para a Lei 14.457/22?

Essa lei, sancionada em setembro de 2022, trouxe mudanças importantes que certamente afetam diretamente o seu trabalho. Entendemos que você possa estar preocupado com as adaptações necessárias para seguir essas novas diretrizes.

Mas não se preocupe! Chegou a hora de entender melhor essas mudanças e descobrir como adequar a sua empresa, garantindo a proteção necessária para cada colaborador.

O que é a Lei 14.457/22?

Aprovada em setembro de 2022, a Lei 14.457/22 altera a Consolidação das Leis de Trabalho (CLT) e introduz o Programa Emprega + Mulheres, visando facilitar a inclusão e permanência das mulheres no mercado de trabalho.

Este programa busca proporcionar maior flexibilidade e integração das mulheres nas empresas, através de medidas que flexibilizam jornadas, apoiam a parentalidade e promovem ambientes de trabalho mais seguros.

Dentre as novas regras impostas pela lei, todas as empresas com Comissão Interna de Prevenção de Acidentes e de Assédio (CIPA) devem:

  • Flexibilizar as jornadas para mães e pais com filhos de até 6 anos de idade ou portadores de deficiência.
  • Incentivar a capacitação e ascensão profissional das mulheres, permitindo a suspensão temporária do contrato de trabalho para qualificação.
  • Apoiar o retorno ao trabalho após a licença maternidade, com a possibilidade de suspensão temporária do contrato para os pais acompanharem o desenvolvimento dos filhos.

Além disso, a lei enfatiza a prevenção e combate ao assédio nas empresas, destacando a importância de procedimentos e ferramentas adequadas para lidar com essas questões.

Quais medidas devem ser adotadas?

A Lei 14.457/22 estabelece a obrigatoriedade da implementação de um Canal de Denúncias, com garantia de anonimato ao denunciante, e a aplicação de normas de conduta para combater o assédio sexual e outras formas de violência no ambiente de trabalho.

Também exige a realização de treinamentos e campanhas de conscientização para os colaboradores, visando orientá-los sobre a importância de combater o assédio e outras condutas prejudiciais.

O prazo para cumprimento das novas regras foi de 180 dias a partir da publicação da lei, que ocorreu em setembro de 2022.

Lei 14.457/22: Quais são as minhas responsabilidades como líder de Gente e Gestão?

Como líder de Gente e Gestão, você desempenha um papel fundamental no processo de adaptação à nova legislação.

Suas responsabilidades incluem:

  • Apoiar a implementação e uso eficaz do Canal de Denúncias, reconhecendo-o como uma ferramenta valiosa para a prevenção de irregularidades e proteção dos colaboradores.
  • Comunicar de forma clara e acessível sobre a lei e o Canal de Denúncias, garantindo que todos os colaboradores compreendam sua importância e funcionamento.
  • Manter uma comunicação regular e realizar treinamentos periódicos sobre prevenção e combate ao assédio e outras formas de violência no trabalho.

Em resumo, é fundamental encarar o Canal de Denúncias como uma ferramenta multifacetada que não apenas cumpre com as exigências legais, mas também promove um ambiente de trabalho mais saudável e seguro.

Para mais informações sobre como preparar sua empresa para a Lei 14.457/22, entre em contato conosco. Estamos aqui para ajudar!

Fale com um especialista e garanta o cumprimento das novas diretrizes de forma eficiente e responsável.

Como a Lei 14.457/2022 contribui para a ascensão das mulheres no mercado de trabalho?

Falar sobre liderança feminina e a Lei 14457 de 2022 é fundamental. Principalmente como alguém que trilha o caminho da liderança e testemunha o progresso contínuo, especialmente ao lado de gestores e gestoras, onde a diversidade e a equidade de gênero devem ser pautas importantes no mundo corporativo de hoje.

Embora o ritmo de avanço possa parecer lento, os dados mostram que empresas que abraçam a diversidade e a equidade têm um desempenho superior. Não se trata apenas de justiça, mas também de lucratividade.

A mudança começa com uma mentalidade que prioriza o potencial das pessoas, independentemente do gênero. Isso é vital para garantir mais mulheres em cargos de liderança. A Lei 14.457, sancionada no ano de 2022, é um marco nesse sentido.

Essa legislação estabelece o Programa Emprega + Mulheres, visando criar ambientes de trabalho mais seguros e inclusivos. E já podemos ver os benefícios dessa abordagem em organizações que adotam essa cultura.

Entre os benefícios, destacam-se o fortalecimento do talento, a confiança nas relações de trabalho e um clima organizacional mais saudável. Além disso, a autonomia e a criatividade dos colaboradores também aumentam, contribuindo para enfrentar os desafios contemporâneos.

Porém, apesar dos avanços, ainda há obstáculos. A sub-representação de mulheres em cargos de alta liderança é um exemplo. Precisamos superar essa lacuna.

A Lei 14.457/2022 é um passo importante nesse caminho. Ela estabelece medidas como a flexibilização das jornadas de trabalho para mães e pais, incentivo à capacitação profissional das mulheres e a prevenção do assédio no ambiente de trabalho.

Essas medidas são essenciais para garantir um ambiente de trabalho justo e seguro, especialmente diante das estatísticas alarmantes de assédio. Mas para que essa lei se torne uma realidade nas empresas, é necessário educar e capacitar as lideranças.

Portanto, convidamos as equipes de RH e Gestão de Pessoas a garantir a implementação efetiva dessa lei, tornando-a parte da cultura organizacional. E às mulheres, reforçamos a importância da sororidade e da busca contínua por nossos direitos.

Juntos, podemos construir um futuro mais igualitário e inclusivo.

Lei 14457/22 e o assédio sexual no ambiente de trabalho

Vamos explorar o conceito de assédio sexual, as leis relacionadas, as penalidades e como a Lei 14.457/22 moderniza as medidas de combate a esse crime, especialmente através de um Canal de Denúncias. Vamos lá!

O que é Assédio Sexual no Trabalho?

Assédio sexual refere-se a qualquer constrangimento de cunho sexual no ambiente profissional. Isso pode ocorrer quando alguém em posição de autoridade usa sua influência para chantagear ou intimidar a vítima.

Pode acontecer de diversas formas, desde convites inapropriados até ameaças veladas de perda de emprego. Infelizmente, muitas vítimas não denunciam por vergonha ou medo.

Leis e implicações legais

No Brasil, o assédio sexual é considerado crime pelo Código Penal e é tratado também no Direito do Trabalho. A Lei 14.457/22 impõe às empresas a obrigação de prevenir e combater o assédio sexual, exigindo a implementação de um Canal de Denúncias para receber e investigar denúncias.

Prevenção e combate ao assédio

Para prevenir o assédio sexual, é essencial conscientizar os colaboradores sobre o tema e estabelecer um código de conduta claro. Além disso, o Canal de Denúncias é uma ferramenta crucial, permitindo relatos anônimos e investigações imparciais.

A falta de comunicação e de um Canal de Denúncias efetivo pode resultar na subnotificação e impunidade dos casos de assédio sexual, prejudicando tanto as vítimas quanto a empresa.

A Lei 14.457/22 representa um avanço significativo na luta contra o assédio sexual no ambiente de trabalho, tornando obrigatórias as campanhas de conscientização e a implementação do Canal de Denúncias.

Se sua empresa ainda não se adequou à nova legislação, é hora de agir. Proteja seus colaboradores e sua organização, e contribua para um ambiente de trabalho mais seguro e justo. Entre em contato com um especialista hoje mesmo e faça a diferença!

Assédio no Brasil: o papel da liderança no auxílio ao combate

O assédio no Brasil, especialmente nos ambientes corporativos, é uma triste realidade enfrentada por muitos colaboradores. Essas situações não apenas prejudicam o bem-estar físico e emocional das vítimas, mas também afetam a produtividade e o clima organizacional.

Recentemente, uma pesquisa da KPMG revelou dados alarmantes sobre a prevalência desse problema no país, destacando a importância do seu enfrentamento e a necessidade de conformidade com a Lei 14.457/22.

Pesquisa “Mapa do assédio no Brasil”: Principais achados

A pesquisa, realizada pela KPMG em fevereiro de 2023, envolveu mais de mil participantes e trouxe à tona números preocupantes:

  • 81,47% dos entrevistados afirmaram ter sofrido assédio pelo menos uma vez;
  • Apenas 18,53% relataram não ter passado por essa situação.

Os dados também revelaram que um terço dos casos ocorre no ambiente de trabalho, com a região Sudeste liderando em incidência.

Papel da liderança no combate ao assédio

Os líderes desempenham um papel fundamental na promoção de uma cultura organizacional ética e respeitosa. Para isso, algumas dicas são essenciais:

  1. Estabeleça padrões elevados de conduta ética e deixe claro que o assédio não será tolerado.
  2. Conduza treinamentos regulares sobre prevenção ao assédio e sensibilize a equipe para a importância do tema.
  3. Incentive o uso do Canal de Denúncias como meio seguro e confidencial para relatar casos de assédio e outras irregularidades.

Canal de Denúncias: Ferramenta essencial no enfrentamento ao assédio

O Canal de Denúncias é uma ferramenta vital para identificar e combater casos de assédio e outras irregularidades. Além de proporcionar segurança e confidencialidade aos denunciantes, contribui para a criação de um ambiente de trabalho mais saudável e produtivo.

Conclusão

O combate ao assédio no ambiente de trabalho é uma responsabilidade compartilhada que requer o engajamento ativo da liderança, a conformidade com a legislação e o uso efetivo do Canal de Denúncias. Ao trabalharmos juntos, podemos criar um ambiente profissional onde todos se sintam seguros, respeitados e capacitados a prosperar.

Lei 14.457/22 e treinamentos obrigatórios de prevenção contra assédio: minha empresa precisa?

A Lei 14457 de 2022 trouxe mudanças importantes para diversas organizações, exigindo adaptações fundamentais, especialmente a realização de treinamentos contra assédio.

Entre as novidades obrigatórias, destacam-se:

  • Implementação do Canal de Denúncias.
  • Realização de treinamentos e campanhas contra assédio sexual, moral e outras formas de violência no trabalho.

Aqui, você descobrirá se sua empresa precisa cumprir essas obrigatoriedades e obterá mais detalhes sobre a lei, incluindo prazos e penalidades. Vamos lá!

O que mudou com a Lei 14.457/22?

A Lei 14.457/22 visa promover a empregabilidade e manutenção de mulheres, especialmente nas empresas com CIPA (Comissão Interna de Prevenção de Acidentes e de Assédio).

Além de criar o “Programa Emprega + Mulheres”, a lei introduz mudanças na CLT para concretizar esses objetivos. Algumas medidas obrigatórias são:

  • Apoio à parentalidade, incluindo flexibilização da jornada.
  • Apoio ao retorno ao trabalho pós-licença-maternidade.
  • Suspensão do contrato para qualificação profissional.
  • Reconhecimento de boas práticas com o selo “Emprega + Mulheres”.

O artigo 23 do capítulo VII destaca a necessidade de prevenção e combate ao assédio sexual e outras violências no trabalho, exigindo a criação do Canal de Denúncias e a realização de treinamentos.

Por que treinamentos são importantes?

Disponibilizar apenas um Canal de Denúncias não basta para prevenir e detectar irregularidades. É essencial conscientizar toda a equipe sobre os danos do assédio e outras condutas abusivas.

Os treinamentos orientam, sensibilizam e estabelecem regras claras, incentivando a denúncia e proporcionando segurança às vítimas. Isso é fundamental para manter um ambiente de trabalho saudável e promover a igualdade de gênero.

Minha empresa precisa cumprir a Lei 14457 de 2022?

Se sua empresa possui CIPA, era necessário adequar-se até 22 de março de 2023, prazo estipulado após a sanção da lei. A CIPA é obrigatória para organizações com mais de 20 funcionários (com Grau de Risco 3 e 4) ou mais de 80 funcionários (com qualquer Grau de Risco).

O não cumprimento das obrigações da Lei 14457/22 pode resultar em penalidades e multas pelo Ministério do Trabalho. Portanto, é importante agir rapidamente para evitar prejuízos.

Como se adequar à Lei 14457?

Para implementar o Canal de Denúncias de forma rápida, fácil e acessível, conte com a Contato Seguro!

Ao contratar nossa ferramenta, você não só atende aos requisitos legais, mas também recebe treinamentos completos em vídeo-animação sobre o combate ao assédio. Além disso, fornecemos materiais de divulgação e suporte especializado durante todo o processo.

Proteja seu negócio e esteja em conformidade com a Lei 14457/22. Comece hoje mesmo e implemente sua solução em até 15 dias!

Lei 14.457/22 comentada

Nosso mundo corporativo evolui constantemente, e as empresas enfrentam desafios únicos ao lidar com uma variedade de pessoas e interações. Os riscos psicossociais são uma realidade em qualquer ambiente onde as relações humanas acontecem.

Por isso, é essencial para as organizações adaptarem-se, criando um ambiente de trabalho acolhedor e seguro, tanto física quanto psicologicamente. O bem-estar dos colaboradores deve ser prioridade, e isso só é possível com uma estratégia bem definida.

A Lei 14.457/22, aprovada em setembro de 2022, estabelece o “Programa Emprega + Mulheres”, visando fortalecer a presença feminina no mercado de trabalho e garantir seu respeito e proteção. As empresas devem seguir as diretrizes desta lei, que incluem medidas para prevenir e combater o assédio sexual e outras formas de violência no trabalho.

O que a Lei 14.457/22 propõe?

Essa lei busca promover um ambiente de trabalho mais inclusivo e seguro, especialmente para as mulheres, incentivando a valorização profissional e oferecendo benefícios como o Selo Emprega + Mulher e reembolso-creche.

Para garantir a eficácia das medidas, as empresas com CIPA (Comissão Interna de Prevenção de Acidentes e de Assédio) devem adotar procedimentos para lidar com o assédio sexual e outras formas de violência no ambiente de trabalho. A lei estabelece a inclusão de regras de conduta, procedimentos para denúncias, capacitações regulares e muito mais.

O que diz o artigo 23 da Lei 14.457/22?

O artigo 23 da lei detalha as medidas que as empresas devem adotar, incluindo:

  1. Inclusão de regras de conduta e divulgação ampla.
  2. Procedimentos para recebimento e apuração de denúncias, garantindo o anonimato do denunciante.
  3. Inclusão de temas de prevenção e combate ao assédio nas atividades da CIPA.
  4. Realização regular de ações de capacitação e sensibilização para todos os níveis hierárquicos da empresa.

É fundamental que as empresas entendam e cumpram essas obrigações para garantir um ambiente de trabalho saudável e respeitoso para todos os colaboradores.

Como a Contato Seguro pode ajudar?

A Contato Seguro oferece um Canal de Ética independente e seguro para que os colaboradores possam denunciar irregularidades, com a garantia de anonimato e tratamento adequado das denúncias. Isso ajuda a criar um ambiente de trabalho mais transparente e responsável, promovendo o respeito e a igualdade.

Nossa equipe especializada oferece suporte profissional e orientação durante todo o processo, garantindo que as empresas estejam em conformidade com a lei e evitem multas e penalidades.

Conclusão: Um ambiente de trabalho seguro e respeitoso

A Lei 14.457/22 é um passo importante para garantir um ambiente de trabalho justo e seguro para todos. Ao cumprir suas diretrizes e contar com o apoio da Contato Seguro, as empresas podem proteger seus colaboradores e evitar problemas legais.

Quer saber mais sobre como adequar sua empresa à Lei 14.457/22 e evitar multas? Entre em contato conosco hoje mesmo e proteja seu ambiente de trabalho!

Adequação Lei 14457

Você sabia que a Lei 14457 de 2022 traz mudanças importantes para empresas e colaboradores? Essa legislação tem como objetivo promover um ambiente de trabalho mais justo e seguro para todos. Uma das grandes novidades é a obrigatoriedade da implementação de um Canal de Denúncias, uma ferramenta essencial para garantir transparência e combater qualquer tipo de violência ou assédio no local de trabalho.

Além disso, a Lei 14457 oferece medidas para flexibilizar o regime de trabalho e férias para mães e pais, incentivando a participação feminina no mercado de trabalho e garantindo condições equitativas para todos os colaboradores. Também estabelece o selo Emprega + Mulheres, que valoriza as empresas comprometidas com a igualdade de gênero e a promoção da diversidade.

Com a crescente popularidade do trabalho remoto, é essencial que as empresas estejam atualizadas e em conformidade com essa legislação. Afinal, a adequação à Lei 14457 não apenas fortalece a imagem da empresa no mercado, mas também promove um ambiente de trabalho mais ético, seguro e inclusivo para todos os colaboradores.

Portanto, é fundamental entender a importância da Adequação Lei 14457 e do Canal de Denúncias. Essas medidas não só protegem os direitos dos trabalhadores, mas também contribuem para o crescimento e o sucesso das empresas a longo prazo. Esteja por dentro e garanta a conformidade da sua empresa hoje mesmo!

Lei 14.457/22

A Lei 14.457/22, também conhecida como Projeto Emprega+Mulheres, marca um importante passo na luta contra a desigualdade de gênero no ambiente profissional. Promulgada em 21 de setembro de 2022, esta legislação visa incentivar e ampliar a contratação de mulheres em todos os setores da economia, impulsionando assim a participação feminina na força de trabalho.

O Projeto Emprega+Mulheres estabelece diretrizes claras para as empresas, encorajando a implementação de programas e ações voltados para a contratação e capacitação das mulheres. Isso inclui iniciativas como oferecer oportunidades de capacitação profissional, desenvolvimento de habilidades e apoio para ocupação de novas posições.

Além disso, a Lei 14457/22 promove a criação de políticas internas de igualdade de gênero, visando remover obstáculos que limitam o avanço das mulheres em suas carreiras. Isso inclui medidas para combater a discriminação de gênero e garantir oportunidades justas de progresso profissional.

Um aspecto relevante da Lei 14.457 é a implementação de mecanismos de fiscalização e acompanhamento, assegurando que as empresas estejam cumprindo suas obrigações e promovendo efetivamente a igualdade de gênero. Isso inclui a exigência de relatórios anuais sobre a situação da contratação de mulheres e as ações realizadas para promover a igualdade de gênero no ambiente de trabalho.

A colaboração entre o poder público e o setor empresarial é essencial para o sucesso dessa iniciativa, visando criar uma cultura organizacional que valorize e promova a participação ativa das mulheres na economia.

O Projeto Emprega+Mulheres representa uma oportunidade significativa para combater a desigualdade de gênero e impulsionar o crescimento econômico do país, garantindo que as mulheres tenham igualdade de oportunidades no mercado de trabalho.

Para garantir a conformidade com a Lei 14457/22 e promover um ambiente de trabalho ético e seguro para todos os colaboradores, conheça a plataforma de Canal de Denúncias (Compliance) da Contato Seguro. Entre em contato conosco e saiba mais sobre nossos serviços especializados na proteção e integridade dos membros organizacionais.

Lei 14.457 de 2022

Com a crescente preocupação com a inclusão e a igualdade de gênero, o Brasil dá passos significativos com a promulgação da Lei 14457 de 2022. Essa legislação, que institui o Programa Emprega + Mulheres, tem como objetivo principal estimular a contratação e a permanência de mulheres no mercado de trabalho, combatendo assim o histórico desequilíbrio de gêneros em posições profissionais. E o Canal de Denúncias, com seu enfoque em segurança, transparência e eficiência, desempenha um papel fundamental nesse processo.

O programa Emprega + Mulheres surge como resposta urgente aos dados alarmantes sobre a participação feminina na força de trabalho. Embora constituam a maioria demográfica, as mulheres ainda enfrentam barreiras significativas que impedem sua total integração e progresso no ambiente profissional. Discriminação salarial, escassez de oportunidades e preconceitos são apenas alguns dos desafios frequentemente enfrentados.

Entre as principais medidas propostas pelo Programa Emprega + Mulheres, destacam-se:

  1. Incentivos fiscais para empresas: Estabelecimentos que se comprometem a empregar um número significativo de mulheres e garantir práticas igualitárias podem beneficiar-se de reduções tributárias. Essa medida não só reconhece as boas práticas corporativas, mas também estimula uma mudança cultural dentro das organizações.
  2. Programas de capacitação: O programa prevê a criação de cursos e treinamentos específicos para mulheres, assegurando que elas adquiram as habilidades e conhecimentos necessários para acessar uma variedade de setores no mercado.
  3. Campanhas de conscientização: Para mudar a realidade, é essencial mudar as percepções. Por isso, o Emprega + Mulheres investe em campanhas educativas destinadas a empregadores e à sociedade em geral, destacando a importância da igualdade de gênero no trabalho.
  4. Monitoramento e transparência: A lei estabelece mecanismos de monitoramento e avaliação para garantir que as empresas cumpram suas promessas e compromissos. Além disso, ao divulgar publicamente as estatísticas de contratação, cria-se uma pressão social para que as empresas se alinhem às melhores práticas.

A Lei 14.457 de 2022 e seu Programa Emprega + Mulheres representam um avanço significativo na busca por uma sociedade mais justa e equitativa. Ao reconhecer e abordar as disparidades de gênero no mercado de trabalho, o Brasil se coloca em uma trajetória de crescimento sustentável, na qual as mulheres não apenas participam, mas também prosperam e lideram. Afinal, um país que investe em suas mulheres é um país que investe em seu próprio futuro.

O que mudou na CIPA em 2023 com a Lei 14.457/22?

A Comissão Interna de Prevenção de Acidentes e Assédio (CIPA) desempenha um papel importante nas relações de trabalho, a segurança e a equidade, zelando pela saúde e bem-estar dos colaboradores.

Aprovada em setembro de 2022, a Lei 14.457 introduziu mudanças significativas na CIPA, expandindo suas responsabilidades, especialmente no que tange à segurança das mulheres no mercado de trabalho. 

A Lei 14.457, aprovada em 21 de setembro de 2022, estabeleceu o Programa Emprega + Mulheres e trouxe diversas modificações para a Consolidação das Leis do Trabalho (CLT).

Entre as alterações, destacam-se medidas que impactam diretamente a atuação da CIPA, reforçando sua importância na promoção da segurança e prevenção de acidentes e assédio no ambiente de trabalho.

Principais mudanças trazidas pela Lei 14.457 de 2022 para a CIPA

Com a promulgação da Lei 14457 de 2022, a CIPA passou a incorporar a prevenção do assédio sexual e outras formas de violência no ambiente de trabalho, ampliando seu escopo de atuação e reforçando seu papel como defensora do bem-estar dos colaboradores.

Entre as implicações práticas dessa mudança, destacam-se:

  • Incorporação do tema no Código de Conduta da empresa, com ampla divulgação entre colaboradores e lideranças.
  • Divulgação do Canal de Denúncias, garantindo que todos os funcionários estejam cientes de sua existência e segurança para realizar relatos.
  • Inclusão de temas relacionados ao combate e prevenção do assédio nas atividades da Comissão.
    Realização de campanhas anuais de treinamento para todos os níveis da empresa, visando o combate ao assédio e o fomento da igualdade e diversidade no ambiente de trabalho.

Implicações e benefícios da Lei 14.457 de 2022

Cumprir a legislação é não apenas uma obrigação, mas uma oportunidade de promover ambientes de trabalho mais saudáveis e inclusivos, tanto para colaboradores quanto para empresas.

Entre os benefícios dessa mudança, destacam-se:

  • Criação de ambientes de trabalho mais seguros, por meio do combate ao assédio moral, sexual e outras irregularidades.
  • Ampliação dos benefícios para colaboradoras com filhos, proporcionando um melhor equilíbrio entre vida pessoal e profissional.
  • Oferta de mais oportunidades de inserção e manutenção das mulheres no mercado de trabalho.

A Lei 14.457 de 2022 trouxe mudanças significativas para a atuação da CIPA, fortalecendo seu papel na promoção de ambientes de trabalho seguros e saudáveis. Estar alinhado com as novas exigências não é apenas uma obrigação legal, mas uma oportunidade de investir no futuro, tanto dos colaboradores quanto da empresa como um todo.

Para saber mais sobre a implementação do Canal de Denúncias e como sua empresa pode se adequar à Lei 14.457 de 2022, entre em contato com um de nossos especialistas agora mesmo. Estamos aqui para ajudar!

Como a Lei 14457/22 afeta o mercado de trabalho

A Lei 14457/22 promoveu mudanças significativas, especialmente no que diz respeito à inserção e proteção das mulheres no mercado de trabalho. Vamos explorar os principais pontos dessa legislação e como ela afeta as dinâmicas profissionais, incluindo a implementação do Canal de Denúncias.

Proteção à parentalidade

Um dos aspectos da Lei 14457/22 é a proteção à parentalidade, reconhecendo os desafios enfrentados pelas mulheres no ambiente de trabalho, especialmente durante a gravidez e a maternidade. A legislação visa facilitar o equilíbrio entre vida pessoal e profissional, oferecendo benefícios como prorrogação da licença-maternidade, flexibilização do regime de trabalho e apoio ao retorno após a licença.

Estímulo à formação profissional

Além disso, a lei incentiva a formação profissional das mulheres, reconhecendo a importância da qualificação para a ascensão no mercado de trabalho. Empregadores podem suspender contratos para que as colaboradoras participem de cursos de qualificação, oferecer bolsas de estudo e ajuda financeira para garantir o desenvolvimento profissional das trabalhadoras.

Combate ao assédio sexual

Outro ponto abordado pela Lei 14457/22 é o combate ao assédio sexual no ambiente de trabalho. A legislação estabelece ações de conscientização, inclusão de regras de conduta contra o assédio nos códigos internos das empresas e a criação obrigatória de um Canal de Denúncias para relatos de má conduta.

Adaptação ao novo cenário

Empresas devem se adaptar às novas exigências legais, revisando políticas internas, implementando treinamentos e preparando-se para a implementação do Canal de Denúncias. Essa adaptação não apenas garante o cumprimento da legislação, mas também promove ambientes de trabalho mais seguros e inclusivos.

Previsões para o futuro

Com a implementação da Lei 14457/22, espera-se uma valorização maior do equilíbrio entre vida pessoal e profissional, uma maior diversidade e inclusão no ambiente de trabalho e o desenvolvimento de novas modalidades de contratação. Essas mudanças têm o potencial de transformar significativamente o mercado de trabalho feminino no Brasil.

A Lei 14457/22 representa um marco importante na promoção da igualdade de gênero e na proteção das trabalhadoras brasileiras. As empresas que se adaptarem a essas mudanças não apenas cumprirão a legislação, mas também colherão os benefícios de promover ambientes de trabalho mais justos, seguros e inclusivos.

Para saber mais sobre como implementar o Canal de Denúncias e se adequar à Lei 14457/22, entre em contato conosco e fale com um de nossos especialistas. Estamos aqui para ajudar a promover um ambiente de trabalho melhor para todos.

Estratégias para empresas se adaptarem à Lei 14457/22 (CIPA)

A Lei 14457/22 trouxe mudanças significativas para as práticas de segurança do trabalho nas empresas, especialmente com a atualização das responsabilidades da Comissão Interna de Prevenção de Acidentes e Assédio (CIPA).

Entender essas mudanças e adaptar-se a elas é importante para manter a conformidade legal e promover um ambiente de trabalho mais seguro e acolhedor para todos.

A Lei 14457/22 modificou aspectos da CLT que influenciam diretamente a atuação da CIPA, ampliando seu escopo para abranger não só a prevenção de acidentes mas também o combate ao assédio no local de trabalho. Algumas das mudanças incluem:

  • Criação do Programa Emprega + Mulheres: A iniciativa busca integrar e manter mulheres no mercado de trabalho, oferecendo suporte especialmente às que têm filhos ou dependentes na primeira infância.
  • Prevenção ao Assédio Sexual: A nova legislação exige que as empresas implementem políticas claras de combate ao assédio sexual e outras formas de violência no trabalho.
  • Canal de Denúncias Anônimo: As empresas agora são obrigadas a manter um canal onde colaboradores possam reportar anonimamente casos de assédio e violência, com procedimentos claros para a investigação dessas denúncias.

Estratégias de Adaptação à Lei 14457/22

Para que sua empresa se adapte eficazmente à Lei 14457/22, considerar as seguintes estratégias é essencial:

1. Capacitação dos membros da CIPA

Garanta que todos os membros da CIPA recebam treinamento específico sobre as mudanças trazidas pela nova lei, capacitando-os a identificar e prevenir problemas de segurança e assédio no trabalho.

2. Revisão das políticas internas

Atualize o código de ética e as políticas de conduta da empresa para refletir as novas exigências legais. É importante que essas políticas sejam transparentes e amplamente divulgadas entre todos os colaboradores.

3. Implementação de um Canal de Denúncias eficaz

Estabeleça um canal de denúncias que seja imparcial e anônimo, conforme exigido por lei. Investir em um canal externo pode ser uma boa estratégia para garantir a imparcialidade e aumentar a confiança dos colaboradores no processo.

4. Avaliação contínua dos riscos

Desenvolva um processo para a avaliação contínua dos riscos no ambiente de trabalho, permitindo que a CIPA faça ajustes proativos conforme necessário para melhorar constantemente as condições de trabalho.

Preparação para auditorias e inspeções

Prepare sua empresa para possíveis auditorias e inspeções do Ministério do Trabalho, garantindo que todas as práticas estejam em conformidade com a Lei 14457/22. Isso inclui:

  • Revisão regular das políticas de segurança.
  • Simulações de auditoria para identificar e corrigir lacunas.
  • Treinamentos frequentes para sensibilizar os colaboradores sobre as regulamentações vigentes.

Adaptar-se à Lei 14457/22 não apenas evita multas e penalidades legais, mas também promove um ambiente de trabalho mais seguro e acolhedor. Isso pode levar a uma melhoria nos indicadores de satisfação dos colaboradores, reduzir o absenteísmo e a rotatividade, e melhorar a reputação corporativa. Além disso, a prevenção de acidentes e assédios pode significar uma redução nos custos associados a indenizações e processos trabalhistas.

Adaptar-se à Lei 14457 de 2022 é essencial para qualquer empresa que valorize a segurança, a integridade e o bem-estar de seus colaboradores. Implementar essas mudanças pode parecer desafiador, mas com as estratégias certas e um compromisso contínuo com a melhoria, sua empresa pode não apenas cumprir com suas obrigações legais, mas também se destacar como um lugar excelente para trabalhar. Se precisar de ajuda nesse processo, considere entrar em contato com especialistas que possam oferecer suporte e orientação personalizada.

Impactos da Lei 14.457/22 sobre os empregadores

A Lei 14.457/22 estabeleceu novos padrões para a inclusão e segurança no ambiente de trabalho, introduzindo medidas importantes como o Programa Emprega + Mulheres. Esta legislação é um passo significativo na promoção da igualdade de gênero nas empresas, principalmente naquelas com Comissão Interna de Prevenção de Acidentes e Assédio (CIPA), impactando diretamente a forma como os empregadores gerenciam suas equipes.

A lei busca remover as barreiras que impedem a participação igualitária das mulheres no mercado de trabalho, abordando desafios específicos enfrentados por mulheres, especialmente durante a maternidade. Entre as medidas implementadas estão:

  • Flexibilização da jornada de trabalho: Permite horários flexíveis para pais e mães de crianças até seis anos, facilitando a conciliação entre vida profissional e familiar.
  • Capacitação e ascensão profissional: Suspensão temporária do contrato de trabalho para qualificação, incentivando o desenvolvimento profissional das mulheres.
  • Combate ao assédio: Inclusão de medidas de prevenção e combate ao assédio na CIPA, obrigando a criação de um Canal de Denúncias para relatar casos de violência.

Empresas que adotam essas práticas não apenas evitam penalidades legais, mas também promovem um ambiente de trabalho mais inclusivo e seguro. O reconhecimento através do Selo Emprega + Mulher, por exemplo, valoriza empresas que se destacam na contratação e promoção de mulheres.

Impactos na contratação e gestão de pessoal

Flexibilização da jornada de trabalho

A lei introduz benefícios como trabalho em regime de tempo parcial e horários flexíveis, promovendo um ambiente de trabalho adaptativo que pode aumentar a retenção de talentos e a satisfação no trabalho.

Licença-maternidade ampliada

A extensão da licença-maternidade oferece maior flexibilidade e suporte para as mães, refletindo um compromisso com o bem-estar dos colaboradores e suas famílias.

Acompanhamento da gestação

Aumentar o número de dias que o parceiro pode acompanhar a gestante em consultas médicas é um reconhecimento da importância do suporte familiar, que beneficia a saúde emocional e física dos colaboradores.

Implementação de políticas claras

É importante que as empresas estabeleçam diretrizes claras para garantir a aplicação justa e equitativa das novas medidas. A transparência nas políticas internas ajuda a evitar confusões e garante que todos os colaboradores se sintam valorizados e respeitados.

Treinamentos e sensibilização

Realizar treinamentos regulares não apenas cumpre com os requisitos legais, mas também educa os funcionários sobre a importância de um ambiente de trabalho seguro e inclusivo. Esses programas devem abranger todos os níveis da organização e serem apresentados em formatos acessíveis.

Monitoramento e ajustes contínuos

Avaliar constantemente a eficácia das políticas implementadas permite ajustes necessários e a melhoria contínua das práticas de trabalho.

A Lei 14457 de 2022 é um marco importante para o avanço das práticas de trabalho inclusivas e seguras no Brasil.

Compreender e implementar efetivamente suas disposições não só ajuda a evitar penalidades legais, mas também reforça o compromisso da empresa com seus colaboradores, melhorando a cultura organizacional e a reputação no mercado.

Para garantir que sua empresa esteja em conformidade e aproveite ao máximo os benefícios da Lei 14.457/22, é essencial adotar uma abordagem proativa e bem informada. Acompanhe as mudanças, eduque sua equipe e crie um ambiente de trabalho que valorize e apoie todos os colaboradores.

Impacto da Lei 14.457 de 2022 para as empresas e funcionários

A Lei 14.457 de 2022, representa um marco importante na busca por maior equidade no ambiente de trabalho no Brasil, especialmente focando na empregabilidade das mulheres. Esta legislação estabelece o programa Emprega + Mulheres, que introduz uma série de medidas obrigatórias que devem ser seguidas por empresas, funcionários e órgãos governamentais, como o Ministério do Trabalho e Emprego (MTE). Com a introdução dessa lei, as dinâmicas do ambiente de trabalho são redefinidas, impactando tanto na rotina dos gestores quanto dos colaboradores.

Resumo da Lei 14.457 de 2022

A Lei 14.457/2022 foi criada para promover a igualdade de gênero no ambiente de trabalho brasileiro. O programa Emprega + Mulheres, estabelecido pela lei, inclui diversas medidas de apoio à parentalidade e à qualificação profissional das mulheres, visando aumentar a representatividade feminina em áreas estratégicas. Entre os principais pontos da lei estão:

  1. Apoio à parentalidade: A legislação prevê dispositivos como o reembolso-creche e a flexibilização do regime de trabalho para facilitar a vida de mães e pais no mercado de trabalho.
  2. Qualificação profissional: Incentiva a qualificação profissional das mulheres em áreas com baixa representatividade feminina, contribuindo para a ascensão profissional e a quebra de barreiras de gênero.
  3. Selo Emprega + Mulher: Empresas que adotarem boas práticas são reconhecidas com este selo, que incentiva a igualdade de gênero no ambiente de trabalho.
  4. Prevenção e combate ao assédio: A lei aborda de forma contundente a prevenção e o combate ao assédio sexual e outras formas de violência no ambiente de trabalho.

Impacto para as Empresas

A Lei 14.457/2022 impõe mudanças significativas nas práticas empresariais, desafiando as empresas a revisarem seus processos de contratação e a adotarem políticas mais inclusivas e equitativas. As principais mudanças incluem:

  1. Revisão dos processos de contratação: As empresas são incentivadas a tornar as etapas de atração de talentos mais inclusivas, adotando ações afirmativas que fomentem a equidade de gênero desde a fase inicial de seleção.
  2. Jornadas flexíveis de trabalho: A adequação das jornadas flexíveis de trabalho se torna obrigatória, exigindo uma reconfiguração das políticas internas para acomodar as necessidades específicas dos colaboradores, especialmente das mulheres com responsabilidades parentais.
  3. Concessão de licenças: A lei exige que as empresas concedam licenças para mães e pais, proporcionando suporte essencial para o equilíbrio entre vida profissional e pessoal. Esse planejamento deve ser feito para evitar interrupções na operação da empresa.
  4. Capacitação e treinamento: As empresas devem investir em capacitações abrangentes sobre temas cruciais relacionados à violência, assédio, igualdade e diversidade no trabalho. Estas capacitações devem ser realizadas anualmente.
  5. Avaliação e Selo Emprega + Mulheres: As empresas serão avaliadas pelo Ministério do Trabalho e Previdência para receber e manter o selo Emprega + Mulheres. Esse reconhecimento exige um compromisso contínuo com a promoção da igualdade de gênero e uma prestação de contas consistente.

Canal de Denúncias

A implementação de um canal de denúncias confidencial é um dos pilares fundamentais da Lei 14.457/2022 para combater o assédio e a violência no ambiente de trabalho. Este canal deve proporcionar um espaço seguro para que os colaboradores relatem incidentes, com atendimento profissional e personalizado, garantindo a correta apuração das queixas.

Empresas como a Contato Seguro já oferecem soluções de canal de denúncias externo e profissional, com atendimento realizado por psicólogos treinados para reduzir o estresse do denunciante e encaminhar a queixa de forma adequada. Estas plataformas também oferecem treinamentos sobre como utilizar o canal e os tipos de problemas que podem ser reportados, além de dashboards intuitivos para acompanhar a detecção de problemas internos.

Impacto para os Colaboradores

A Lei 14.457/2022 traz uma série de melhorias significativas para os colaboradores, promovendo um equilíbrio melhor entre trabalho e vida pessoal. Entre os benefícios previstos estão:

  1. Trabalho remoto e jornadas flexíveis: A possibilidade de trabalhar de casa e ter jornadas de trabalho mais curtas ou flexíveis permite que os colaboradores gerenciem melhor suas responsabilidades parentais e profissionais.
  2. Reembolso-creche: Este benefício visa auxiliar financeiramente os pais com filhos pequenos, ajudando a cobrir custos de creche.
  3. Qualificação profissional: A suspensão do contrato de trabalho para fins de qualificação profissional é incentivada, com o objetivo de aumentar a presença feminina em áreas estratégicas e promover a ascensão profissional das mulheres.
  4. Licenças parentais: A concessão de licenças para mães e pais permite um suporte essencial para o equilíbrio entre vida profissional e pessoal, garantindo que os colaboradores possam dedicar tempo necessário aos cuidados dos filhos sem prejudicar sua carreira.

Conclusão
A adaptação a uma cultura organizacional mais inclusiva é uma resposta direta às demandas da Lei 14.457/2022. As empresas são incentivadas a promover ambientes de trabalho que respeitem a diversidade e a igualdade de gênero, criando espaços mais equitativos e justos para todos os envolvidos. Em paralelo, os colaboradores ganham mais suporte para desempenhar suas responsabilidades parentais e profissionais, com maiores chances de crescimento e desenvolvimento na carreira.

Para as empresas que ainda não se adaptaram às exigências da lei, é crucial iniciar o processo de conformidade o quanto antes. A Contato Seguro oferece orientações personalizadas e soluções eficazes para ajudar as empresas a se adequarem às novas demandas legislativas, garantindo um ambiente de trabalho mais íntegro, seguro e igualitário.

Desafios em torno da Lei 14.457 de 2022

A Lei 14.457/22, que começou como a Medida Provisória 1116/22, foi criada para combater a discriminação de gênero no trabalho, um problema agravado pela pandemia de Covid-19. Dados mostraram que as mulheres têm menos oportunidades no mercado de trabalho, o que levou à necessidade dessa lei. Em vigor desde 22 de setembro de 2022, a lei apoia a parentalidade, introduz reembolso-creche e flexibilização do trabalho, regulamenta o retorno após a licença-maternidade, cria o selo Emprega + Mulher e oferece benefícios fiscais a pequenas empresas que cumprem suas diretrizes.

Desafios da Implementação

  1. Capacitação dos colaboradores: Treinar os colaboradores, especialmente os membros da CIPA, é essencial. Os treinamentos precisam ser específicos e adequados, já que a comissão agora tem o papel de orientar e apoiar vítimas de assédio, sem investigar as denúncias. Um bom treinamento garante que essas questões sensíveis sejam tratadas com a seriedade necessária.
  2. Alinhamento entre departamentos: A implementação da lei exige cooperação entre diversos departamentos, como recursos humanos, jurídico, compliance e segurança ocupacional. Uma comunicação eficiente é crucial para garantir que todos os setores trabalhem juntos de forma harmoniosa.
  3. Avaliação contínua das medidas: É importante monitorar constantemente as ações de conformidade com a lei, documentando a eficácia das medidas adotadas. Somente com avaliações regulares é possível manter um ambiente de trabalho livre de violência e assédio.
  4. Tratamento de Denúncias: Receber e tratar denúncias adequadamente é vital para manter um ambiente de trabalho saudável e proteger a reputação da empresa. Um canal de denúncias externo e confidencial ajuda a prevenir problemas legais e garante que a empresa cumpra suas responsabilidades.

Dificuldades na adesão à Lei 14.457/22

Adaptar-se à Lei 14.457/22 não é fácil. É necessário mudar a mentalidade de todos os envolvidos para promover relações profissionais transparentes e combater a discriminação. O diálogo aberto entre líderes e funcionários e o exemplo de comportamento dos líderes são fundamentais para criar uma cultura corporativa baseada em respeito e eficiência.

Impacto esperado no futuro do trabalho

Comprometer-se seriamente com a igualdade de oportunidades e o combate ao assédio é essencial para um ambiente de trabalho saudável. De acordo com a Organização Internacional do Trabalho, 23% dos trabalhadores em 121 países enfrentam violência e assédio. A Lei 14.457/22 busca aliviar a sobrecarga histórica sobre as mulheres, promovendo uma divisão mais justa das responsabilidades entre os gêneros e demonstrando a importância de uma liderança diversificada para o sucesso empresarial.

A Lei 14.457/22 exige que as empresas se comprometam com a criação de ambientes de trabalho inclusivos e seguros. Implementar um canal de denúncias confiável é um passo essencial para tratar adequadamente as denúncias e demonstrar o compromisso com a segurança e o bem-estar dos colaboradores.

Para mais informações ou suporte na implementação das exigências da Lei 14.457/22, entre em contato com a Contato Seguro preenchendo o formulário ao lado. Juntos, podemos construir ambientes de trabalho mais justos.

Contrate o seu Canal de Denúncias com a líder do mercado!

Quando se fala em Canal de Denúncias nas Empresas, é preciso saber que a Contato Seguro é líder no mercado, além de pioneira na implementação e gestão de valores éticos e Compliance.

Nossa experiência já soma pouco mais de uma década, o que mostra nossa qualidade e evidencia a confiança dos clientes em nosso trabalho.

Ou entre em contato para contratar o Canal de Denúncias para Empresas da Contato Seguro em sua empresa e trabalhar junto conosco para um país mais ético!

Dúvidas frequentes em relação à Lei 14457 de 2022

A Lei 14457, de 2022, faz parte do programa Emprega + Mulheres e estabelece medidas para prevenir e combater o assédio sexual e outras formas de violência no local de trabalho. Ela exige que empresas com CIPA implementem um Canal de Denúncias.

Todas as empresas que possuem CIPA (Comissão Interna de Prevenção de Acidentes) devem cumprir as diretrizes estabelecidas pela Lei 14457/22, incluindo a implementação do Canal de Denúncias.

Esta lei visa criar um ambiente de trabalho mais seguro, saudável e livre de violência, promovendo a integridade e respeito entre os colaboradores e especialmente protegendo as mulheres contra assédio e outras violências.

As empresas tinham até o dia 22 de março de 2023 para implementar o Canal de Denúncias conforme determinado pela legislação.

O não cumprimento pode resultar em multas e outras penalidades impostas pelo Ministério do Trabalho, além de prejudicar a reputação e os resultados financeiros da empresa.

O Canal de Denúncias proporciona um meio seguro e confidencial para relatar casos de assédio sexual e outras formas de violência, contribuindo para um ambiente de trabalho mais confiável e acolhedor.

O programa Emprega + Mulheres é uma estratégia do governo brasileiro para facilitar a entrada e permanência das mulheres no mercado de trabalho, ao mesmo tempo em que combate o assédio sexual e outras formas de violência no ambiente laboral.

Ao garantir medidas como a extensão da licença maternidade e a criação de um ambiente de trabalho seguro e inclusivo, a lei contribui para reduzir a disparidade de gênero no mercado de trabalho e promover a igualdade de oportunidades.

A Lei 14457/22 torna obrigatória a implementação de um Canal de Denúncias em todas as empresas que possuem uma Comissão Interna de Prevenção de Acidentes (CIPA). Este canal deve ser um meio seguro e acessível para que os funcionários possam reportar casos de assédio sexual e outras formas de violência no ambiente de trabalho, sem medo de retaliação. O objetivo é assegurar que as denúncias sejam tratadas de forma confidencial e que haja a devida investigação e ação corretiva, conforme necessário.

Para contratar a Contato Seguro e implementar um Canal de Denúncias em conformidade com a Lei 14457/22, as empresas podem entrar em contato diretamente com nossos especialistas. A Contato Seguro oferece uma solução terceirizada de Canal de Denúncias, proporcionando experiência e presença global, garantindo o recebimento seguro e confidencial das denúncias. A empresa também oferece suporte especializado para ajudar as organizações a atenderem todas as exigências legais e a promoverem um ambiente de trabalho seguro e ético.

4.8/5 - 3747 votos