Pesquisar
Close this search box.

Relatos de irregularidades: como evitar retaliações contra denunciantes e garantir sua proteção

Tempo de Leitura: 5 Minutos

Retaliação consiste em revidar um ato ou uma ofensa com dano igual ou superior ao sofrido. No contexto organizacional, uma de suas formas refere-se à prática de punir o colaborador que relata uma irregularidade — é uma forma de revidar o ato de denunciar.

Imagine a situação: um colaborador procura o canal de comunicação interno da empresa, ou um disque denúncia do governo estadual, e relata que vem sofrendo assédio moral por seu superior hierárquico. 

O autor do assédio, após ser abordado pelos Recursos Humanos ou pelo agente competente, entrando num processo de apuração da denúncia, passa a tratá-lo de forma negativamente diferente, o exclui de atividades e retira benefícios concedidos no decorrer do emprego.

Esse colaborador está sendo punido por ter ido atrás de seus direitos e relatado uma situação de comportamento abusivo por parte do supervisor ou gerente.

A retaliação pode ocorrer da forma mais sutil, como um tratamento frio e indiferente para com a vítima, até formas extremas, como uma demissão ou a violência física.

Assim, essa prática inibe as tentativas do colaborador de resolver adequadamente um problema no ambiente do trabalho. Ele irá pensar: “se eu denunciar, minha situação vai ficar pior!”. E tem razão.

Os relatos são a melhor maneira de se trazer o fato à tona e coibir irregularidades — se sofrerem entraves, os superiores ficam, em grande medida, sem meios de detectá-las.

Uma organização íntegra deverá prezar pela total proteção do denunciante de boa-fé, fomentando a sua manifestação espontânea e mantendo o processo de denúncia imparcial.

Mesmo que a retaliação esteja presente de maneira generalizada na cultura de uma empresa, existem meios de modificar essa realidade e fortalecer a apuração isenta e íntegra dos processos de tratamento de denúncias.

Neste artigo, traremos algumas recomendações e práticas que apontam para essa meta, visando o seu auxílio na construção de uma organização transparente e ética.

Boa leitura!

Consequências da prática de retaliação

Dados da Agência Equal Employment Opportunity Commission (Comissão para a Promoção de Iguais Oportunidades de Trabalho), mostraram que, em 2021, mais da metade das denúncias recebidas incluíam a ocorrência de retaliação nos relatos(1). 

Alguns exemplos(2) de retaliação no ambiente de trabalho são:

  • exclusão de oportunidade de promoção ou aumento de salário;
  • avaliação de performance mais baixa do que o merecido;
  • demonstrações de hostilidade;
  • perseguição/tratamento negativamente diferenciado;
  • rebaixamento do colaborador, ou submetê-lo a jornada de trabalho desfavorável;
  • corte de salário;
  • suspensão ou demissão.

A retaliação, portanto, eleva sobremaneira qualquer irregularidade que esteja ocorrendo na empresa — além dos malefícios da própria má conduta, dos casos de assédio moral e sexual, fraudes, entre outros, os que se propõem a denunciar e resolver esses problemas acabam sendo castigados.

A Associação de Examinadores Certificados de Fraude estudou mais de 2.000 casos de fraude em 2.021 e encontrou que 42% das fraudes identificadas nas empresas(3) foram detectadas por via de relato ou denúncia.

Ou seja, relatos de irregularidades são a via principal para se descobrir casos de fraude em organizações de todo mundo, e isso não é diferente para outros tipos de irregularidades e má conduta dentro de uma empresa.

Permitir a retaliação dos denunciantes é reduzir drasticamente a capacidade de identificação desses problemas.

Por isso se faz fundamental investir em estratégias para evitar que a retaliação seja uma prática no ambiente de trabalho. Vamos a elas!

Como evitar retaliação contra denunciantes na sua empresa

  • Treinamento: principalmente para os cargos de liderança. Líderes, gestores e profissionais C-Level devem ser orientados sobre a necessidade de proteção do denunciante e sobre a importância dos relatos para a organização. O apreço pela conduta ética e íntegra deve ser destaque, além da conscientização sobre as consequências da retaliação para os autores.
  • Reforçar Código de Conduta e Políticas de Integridade: os Códigos de Conduta e as Políticas de Integridade da organização exprimem o que é esperado e o que é exigido de cada colaborador da empresa, no nível dos valores e condutas a serem postos em prática. É importante rever esses regramentos e garantir a precisão da linguagem, salientando possíveis pontos fracos nas questões de irregularidades, retaliação e suas consequências.
  • Compromisso da organização com os preceitos da ética e integridade: além de códigos e políticas claros, treinamentos, comunicação e sensibilização regulares, cabe à Alta Direção promover o compromisso da instituição com a proibição da retaliação de qualquer natureza. Em casos de retaliação identificados, consequências exemplares e imediatas devem ser adotadas, independentemente do nível hierárquico do agressor ou de qualquer outro fator envolvido. Todos devem ter ciência da gravidade da retaliação e a certeza de que jamais haverá impunidade.
  • Garantir confidencialidade — Canal de Denúncias: a retaliação só é possível quando a identidade do denunciante é exposta, por via direta ou indireta. Ter um Canal de Denúncias terceirizado é uma alternativa perfeita, pois a ferramenta garante o anonimato e a não interferência interna nos processos de apuração de denúncias. Com um Canal de Denúncias externo, as pessoas se sentem mais seguras, com a garantia de não serem identificadas.

Conclusão

A prática de retaliação causa malefícios para colaboradores e empresas pois, além de punir uma ação que deveria ser garantida e protegida — o relato ou denúncia —, ainda cega os altos cargos da organização para os problemas existentes, já que os relatos, sendo a principal forma de detecção de irregularidades, ficam inibidos.

As empresas devem investir em estratégias para alinhar as Políticas de Integridade e as exigências éticas da organização, conscientizando e educando colaboradores, líderes e gestores sobre a importância dos relatos para o bom funcionamento da empresa e para a saúde e para o bem estar de todos que a compõem.

O Canal de Denúncias é uma ferramenta fundamental para evitar casos de retaliação nas organizações — ela protege o denunciante, garantindo sua anonimidade e o processamento da denúncia de forma paralela à empresa, num serviço terceirizado.

Treinamentos de orientação e conscientização também são bem-vindos, para o alinhamento das expectativas quanto aos valores e condutas a serem prezados no ambiente de trabalho.

Sobre a Contato Seguro

A Contato Seguro, sediada em Porto Alegre e criada em 2008, é referência na solução terceirizada para relatos de irregularidades, o Canal de Denúncias. 

Na plataforma, alta tecnologia, gestão e suporte unem-se para a efetiva implementação e comunicação da ferramenta dentro da sua empresa.

Hoje, mais de 2.000 empresas em 37 países e 12 idiomas contam com a ferramenta para potencializar seus resultados e proteger seus colaboradores.

Fontes:
(1) https://tinyurl.com/3ret5chm
(2) https://etactics.com/blog/signs-of-retaliation-at-work
(3) https://canaldaetica.com.br/blog/dicas-combater-fraude/

4.8/5 - 409 votos

Solicite um orçamento gratuito em apenas 3 passos:

Saiba como contratar em apenas 3 passos: