Pesquisar
Close this search box.

9 Soluções para combater todos os tipos de assédio no trabalho

9 Soluções para combater todos os tipos de assédio no trabalho

Menu do Artigo

Tempo de Leitura: 6 Minutos

O combate ao assédio no trabalho é uma necessidade urgente em todas as organizações brasileiras. É o que revela o levantamento da Mindsight, divulgado em 2021, ao apontar que mulheres sofrem três vezes mais assédio sexual do que homens, mas apenas 3% das vítimas denunciam o crime.

Além disso, 34% dos mais de 11 mil trabalhadores entrevistados admitiram ter sido vítimas de assédio moral. Os alvos mais frequentes? Mulheres negras, pessoas de diferentes etnias, pessoas com deficiência, LGBTQIAP+, doentes e acidentados, segundo o Senado Federal.

O senso comum diz que programas de conscientização são a resposta para enfrentar esse problema subnotificado, mas é preciso ir além!

Empregadores e profissionais de Recursos Humanos devem estar atentos às melhores estratégias de combate ao assédio no local de trabalho para gerar resultados positivos no bem-estar dos colaboradores e da empresa.

No artigo de hoje, exploraremos 9 soluções eficazes para lidar com todos os tipos de assédio no ambiente de trabalho. Confira!

1) Código de Conduta abordando Assédio e suas Vertentes

O primeiro passo para combater o assédio no trabalho é atualizar o Código de Conduta da empresa, incorporando orientações claras sobre o assédio moral, sexual e por discriminação.

Como apontado pelos pesquisadores Margarida Barreto e Roberto Heloani, o assédio moral reflete uma cultura de intolerância, medo e culpa no ambiente de trabalho.

Portanto, o código deve definir claramente esses conceitos e estabelecer o comportamento aceitável no ambiente laboral. Por exemplo:

  • Proibir insultos, intimidação, comentários ofensivos, gestos obscenos e o acesso a sites pornográficos no ambiente de trabalho.
  • Estabelecer uma política de respeito e diversidade, reforçando a promoção de um ambiente inclusivo para todos os colaboradores, independentemente de raça, gênero, orientação sexual, religião, idade ou origem.

Ao disseminar e reforçar continuamente essas normas na cultura da organização, todos agirão sob um senso de responsabilidade, integridade e ética.

2) Treinamentos sobre Assédio, Prevenção e Consequências 

A realização de treinamentos sobre assédio moral e sexual é essencial para  esclarecer comportamentos inadequados no local de trabalho, conscientizar os colaboradores sobre as diferentes formas de violência que podem se manifestar e como se defender nessas situações.

Combater Todos os Tipos de Assédio no Trabalho
Combater Todos os Tipos de Assédio no Trabalho

Também é importante que os treinamentos abordem como as vítimas serão amparadas pela organização e as consequências aos infratores aplicados, tanto pela empresa quanto pela Constituição Federal.

Vale ressaltar que a Lei 14.457/22 obriga as organizações com CIPA a implementar esses treinamentos pelo menos uma vez a cada 12 meses, desde março de 2023.

A legislação visa combater o assédio sexual e outras formas de violência no ambiente corporativo por meio do Programa Emprega Mais Mulheres e estipula sanções ao empregador, como possíveis ações trabalhistas, intervenções do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE) e multas — além de danos à imagem da empresa no mercado.

3) Capacitações Específicas para as Lideranças

As capacitações específicas para lideranças são fundamentais no combate ao assédio laboral, especialmente quando esse cenário de comportamentos tóxicos e repetitivos é ainda mais recorrente dentro da dinâmica entre líderes e subordinados.

Os gerentes, coordenadores, diretores e até mesmo terceirizados na entidade podem aprender a reconhecer:

  • Sinais de comportamento inadequado, como pressão excessiva e repetitiva sobre a equipe.
  • Os limites de suas condutas.
  • Como fornecer feedbacks construtivos sem humilhar os colaboradores.
  • Falas e atos discriminatórios.
  • O que caracteriza um ambiente inclusivo para toda a equipe.
  • Como lidar com denúncias de assédio, garantindo a imparcialidade e a segurança dos envolvidos.

4) Materiais Educativos sobre Tipos de Assédio no Trabalho

Estamos falando de guias, cartilhas, vídeos informativos e outros recursos visuais que explicam o que constitui cada tipo de assédio, como reconhecê-los e como denunciá-los de forma segura.

Todos os materiais educativos devem destacar a importância da prevenção e do respeito mútuo no ambiente de trabalho, promovendo uma cultura organizacional inclusiva e livre de qualquer tabu em torno de temas sensíveis.

E para garantir que essa estratégia de combate a todos os tipos de assédio no ambiente de trabalho gere impactos positivos, a empresa pode utilizar seus canais internos de comunicação para tornar os materiais acessíveis a qualquer momento para o colaborador.

5) Monitoramento dos Indicadores de Clima Organizacional

Realizar pesquisas periódicas de clima organizacional permite avaliar a satisfação e o bem-estar dos empregados, identificando possíveis mudanças negativas que possam indicar problemas, incluindo casos de assédio moral.

Mais uma vez, é essencial que o setor de RH (ou Gente e Gestão, em algumas empresas) esteja atento às alterações de comportamento dos colaboradores e investigue as causas por trás delas, seja por uma conversa informal ou pelos formulários de feedback.

Oferecer palestras regulares com especialistas em saúde ocupacional é outra iniciativa eficaz para criar um espaço seguro para discussões abertas sobre o tema.

7) Identificação de Padrões na Rotatividade de Colaboradores

Observe de perto as taxas de saída de funcionários, especialmente em equipes ou departamentos específicos. Isso pode fornecer insights importantes sobre a saúde do ambiente de trabalho.

Elevadas taxas de rotatividade podem ser um sinal de que algo está errado e indicar a presença de assédio moral ou outros problemas relacionados na equipe.

Analise também os dados relacionados a afastamentos por motivos de saúde mental e absenteísmo (faltas dos colaboradores). O assédio pode causar estresse, ansiedade e outros sintomas físicos, psicológicos e emocionais, levando os funcionários a se ausentarem do trabalho com mais frequência.

Quando a empresa identifica padrões como esses, ela pode tomar medidas proativas para abordar questões de assédio, tornar as políticas internas contra o assédio mais rigorosas e oferecer treinamentos adicionais.

8) Entrevistas de Desligamento

A entrevista de desligamento é uma importante etapa do processo demissional de um colaborador por ser capaz de coletar percepções que possam contribuir para a melhoria do clima organizacional.

Ao conduzir essas entrevistas de forma sensível e empática, é possível oferecer aos funcionários a oportunidade de compartilhar suas experiências de forma segura.

Isso pode incluir relatos de comportamentos inadequados, abusivos e discriminatórios por parte de colegas ou superiores.

Com as informações à mão, será possível tomar medidas corretivas imediatas para resolver o problema e evitar que situações semelhantes ocorram no futuro.

9) Disponibilização de um Canal de Denúncias

A implementação de procedimentos formais para denunciar casos de assédio é mais uma exigência que a Lei 14.457/22 faz às empresas com CIPA — e que também pode beneficiar as organizações interessadas em prevenir e combater outros comportamentos antiéticos no âmbito do trabalho.

Aliás, o Canal de Denúncias é o instrumento mais efetivo na prevenção e detecção não apenas de assédios, mas também de outras irregularidades e desvios de conduta passíveis de ocorrer numa instituição.

Para que um Canal de Denúncias seja eficaz, é preciso garantir que ele seja imparcial, acessível e ofereça confidencialidade no tratamento dos relatos.

A possibilidade de fazer a denúncia de forma anônima reforça a proteção ao denunciante que tem medo de retaliação.

Como ressalta o Sócio Diretor da Contato Seguro, Wagner Giovanini, os agressores contam com a impunidade e a falta de denúncias.

Muitos acham que ninguém terá a coragem de denunciar. Tem até aqueles que nem sabem que estão cometendo assédio”, diz Giovanini em seu podcast.

Por isso, a implementação do Canal de Denúncias da Contato Seguro é uma ação estratégica e econômica por vir acompanhada de uma série de capacitações sobre uso correto da plataforma e as etapas de identificação, apuração e conclusão da denúncia com ações corretivas, quando for o caso.

Esses são os benefícios de contar com um Canal externo, independente e disponível 24 horas por dia, auxiliando a sua empresa a tornar público o compromisso de facilitar a denúncia e prestar apoio aos seus colaboradores.

Conclusão

Na luta contra o assédio no ambiente de trabalho, capacitar os colaboradores e as lideranças é apenas uma parte das estratégias de gestão de pessoas capazes de favorecer relações de trabalho mais produtivas e saudáveis.

A transparência e a imparcialidade durante a apuração dos casos, por exemplo, contribuem para promover um clima de confiança e justiça dentro da organização.

Nesse sentido, o Canal de Denúncias da Contato Seguro se destaca como uma ferramenta segura para promover a integridade e a segurança no ambiente de trabalho.

Oferecemos suporte aos administradores da plataforma com relatórios instantâneos e proteção às vítimas de assédio com acolhimento feito por psicólogos-ouvidores.
Saiba mais sobre a nossa plataforma de denúncias, preencha o formulário ao lado e entraremos em contato com você para construirmos juntos um ambiente ético na sua empresa!

Solicite um orçamento gratuito em apenas 3 passos:

Novidades

Saiba como contratar em apenas 3 passos: