Pesquisar
Close this search box.

Como lidar com casos de assédio na sua equipe?

mulher sentada na rua cabisbaixa e pensativa
Tempo de Leitura: 5 Minutos

O assédio no ambiente laboral aparece de várias maneiras. 

O assédio moral caracteriza-se quando o agressor submete a vítima a situações degradantes, humilhantes e constrangedoras, em comportamentos como: gritar ou xingar, exigir tarefas impossíveis, obrigar o colaborador a trabalhar em ambiente inadequado, limitar acesso a recursos, espalhar boatos, etc.

O assédio sexual se manifesta por ofensas, palavras, gestos, insinuações e convites de caráter sexual e inapropriados, que pretendem levar a vítima a ter contato sexual com o agressor, com ameaça da perda de emprego ou posição na organização.

A Direção e a área de Recursos Humanos da organização têm um papel fundamental no cuidado dessas questões. Sendo responsáveis por seus trabalhadores, é imprescindível que esses departamentos criem, em primeiro lugar, uma cultura organizacional que previna o assédio e, em segundo, regras para manejo caso a irregularidade venha a ser identificada.

Neste artigo, vamos explorar tanto a abordagem preventiva quanto a abordagem corretiva do problema do assédio nas organizações e como elas se balizam a partir do papel da liderança, do RH e, finalmente, como um Canal de Denúncias é fundamental para esse fim.

O papel da liderança

As lideranças na organização — gerentes, supervisores e pessoas com cargos mais estratégicos — devem ser os promotores dos valores da empresa e funcionar como pontos de referência para a resolução de problemas.

Por isso, esses atores são pontos de articulação e consolidadores da cultura organizacional. Deles, devem partir o exemplo e o suporte, quando o assunto é ética e integridade. 

Nesse sentido, o trabalho preventivo do assédio no local do trabalho deve basear-se numa cultura de comunicação e feedback muito sólida, em que assuntos delicados são tratados de forma aberta e na qual o Código de Ética está sempre em pauta.

Tão importante quanto as instruções técnicas de trabalho são as instruções éticas, a forma que devem se dar as relações, os valores morais necessários à convivência e as tarefas cotidianas. Assim, pessoas em papel de liderança devem agir de forma ética e participar dos processos de capacitação e treinamento.

Quanto à abordagem corretiva, os líderes têm de estar preparados para acolher questões, queixas e mediar conflitos. E, quando necessário, orientar seus subordinados a recorrer aos instrumentos adequados para formalizarem uma denúncia.

Infelizmente, casos de assédio são frequentemente perpetrados por pessoas em posição hierárquica superior e, por isso, o Canal de Denúncias torna-se a solução mais efetiva (e agora obrigatória). Aliás, somente o canal terceirizado oferecerá a proteção necessária do colaborador e da organização. 

Mas, antes de entendermos o papel do Canal de Denúncias, vamos tratar sobre o papel do RH no tratamento de casos de assédio.

O papel do RH

Sendo o setor de Recursos Humanos um aliado essencial para a sustentação do Compliance, normalmente é através dele que o planejamento estratégico contra o assédio no trabalho será posto em prática

Em conjunto com as pessoas do Compliance, o RH contribui para a disseminação dos conceitos, sensibilização e divulgação dos valores e regras da organização, por meio de códigos e políticas, além das  campanhas de comunicação e treinamentos.

Ter um protocolo devidamente comunicado significa dar aos seus colaboradores um caminho a seguir, caso eles sejam vítimas desse tipo de violência. Assim, é preciso definir rotinas sistêmicas sobre o que fazer, respeitando as particularidades de cada instituição, de acordo com sua forma de funcionamento, cultura, natureza, tamanho, entre outros fatores.

Os treinamentos e campanhas servirão para informar os funcionários, por exemplo, sobre o que é o assédio, quais são suas características e formas de manifestação e, portanto, o que deve ser reportado ou denunciado.

Educar e conscientizar desta maneira tornará alinhados os valores e expectativas entre empregadores e empregados — é traçar uma linha objetiva sobre o que é aceitável e inaceitável e manter uma conversa e negociação vivas acerca dessas questões.

Com isso, todos saberão o que esperar, o que devem e podem fazer e, principalmente, ficarão atentos ao que aparenta ser irregular e ao que é claramente uma má conduta.

Utilizando um Canal de Denúncias para combater o assédio no trabalho

Como ficou claro, idealmente a organização como um todo trabalha com diligência para combater irregularidades diversas, assédios e outras violências no trabalho.

A postura dos líderes e o trabalho do RH são fundamentais para levar a empresa a alcançar um grau de desenvolvimento que estabeleça um ambiente seguro e saudável para seus colaboradores.

Junto a este trabalho, o Canal de Denúncias aparece como uma ferramenta indispensável: por meio dele, previne-se a ocorrência de assédios, detectam-se casos indesejados e promove-se a remediação. 

Veja, a seguir, 3 motivos que o uso do Canal de Denúncias, oferecido pela Contato Seguro, corrobora o conteúdo desse artigo: 

  1. Ferramenta terceirizada: as denúncias ocorrem sem interferência das instâncias internas da empresa, reduzindo riscos de retaliação ao denunciante e, com isso, as pessoas passam a ter mais confiança e segurança no uso desse instrumento.
  2. Denúncias anônimas: sem o anonimato, o manifestante pode se sentir exposto, caso o denunciado seja um líder ou superior hierárquico. Além disso, há sempre o temor de ser classificado como “dedo-duro”. Embora não seja esse o contexto de uma denúncia, pois a organização deve incentivar sempre a sua utilização, a questão cultural pode interferir na decisão sobre denunciar ou não.
  3. Profissionais capacitados: os profissionais que recebem os relatos pelo Canal são uma equipe especializada: psicólogos ouvidores, especialistas em Compliance e profissionais do direito, com compromisso inegociável quanto à confidencialidade. Assim, o manifestante é acolhido, sente-se confortável em compartilhar suas informações e recebe todas as orientações, para gerar um relato completo, confiável e claro, a fim de facilitar os processos de apuração que virão a seguir.

Conclusão

Não à toa a Lei 14.457/22 tornou obrigatório para organizações com CIPA(1) implementarem um Canal de Denúncias para receber, acompanhar e solucionar irregularidades.

O Canal de Denúncias propicia trazer à tona fatos até então desconhecidos pela organização e, dessa forma, medidas preventivas e corretivas podem ser aplicadas. 

Assim sendo, as irregularidades de toda ordem tendem a diminuir, melhorando o ambiente de trabalho e promovendo benefícios a todos: colaboradores e empresa.

Em outras palavras, o risco de ser denunciado inibe o comportamento do agressor — por isso é importante, como colocamos, que a liderança e o RH sejam ativos na divulgação do Canal e na capacitação, para utilizar a ferramenta. Dessa forma, o Canal de Denúncias torna-se um método efetivo tanto de prevenção quanto correção.

Na Contato Seguro, nós apoiamos todo o processo de implementação do Canal, instruindo e auxiliando gestores e líderes nas tomadas de decisão, organização e divulgação da ferramenta, juntamente com os treinamentos e campanhas que devem acompanhá-lo.

Fonte:
(1) https://tinyurl.com/32nevbh4

4.8/5 - 358 votos

Solicite um orçamento gratuito em apenas 3 passos:

Saiba como contratar em apenas 3 passos: