Pesquisar
Close this search box.

Saúde mental no ambiente de trabalho 

Tempo de Leitura: 5 Minutos

Não é difícil perceber as relações entre saúde mental e o trabalho. Sendo este um dos pilares da vida humana em nossa época, está presente na realidade da maioria das pessoas, e ocupa grande parte de seu tempo.

Existe uma enorme importância a que se atribui o trabalho, pelas dificuldades que ele contempla e pela forma que o mundo do trabalho foi desenvolvido na idade moderna. No entanto, foi só recentemente passamos a pensar que devemos trabalhar para viver, e não viver para trabalhar.

No Brasil, a Consolidação das Leis do Trabalho é criada em 1943, fruto do Primeiro Congresso Brasileiro de Direito Social. Assim, garantir os direitos dos trabalhadores significa prezar por seu bem-estar, por sua saúde, e fornecer as melhores condições possíveis para o exercício laboral.

Hoje sabemos que más condições de trabalho têm um enorme impacto sobre a saúde mental de milhares de pessoas em todo o mundo. Esse entendimento e o fato de a realidade do trabalho mudar tanto quanto se avança em tecnologia nos faz pensar em como podemos criar estratégias para melhorar os nossos ambientes de trabalho, criando uma cultura organizacional que produz saúde e satisfação.

Segundo dados da Organização Mundial de Saúde, dos adultos em idade de trabalho, 15% possuíam algum transtorno mental em 2019. No mesmo ano, em todo o mundo, foi estimado que U $12 bilhões de dias de trabalho foram perdidos devido a depressão e ansiedade. O que custa cerca de 1 trilhão de dólares de produtividade.

Os números não deixam dúvidas: é preciso cuidar da saúde mental dos nossos trabalhadores. Mas, o que exatamente causa o adoecimento mental no trabalho?

O que causa o adoecimento?

Há na Psicologia dois modelos de compreensão das relações entre saúde mental e trabalho. O primeiro “Psicodinâmica do trabalho”, entende o trabalho como central na vida das pessoas, e analisa os aspectos da atividade que promovem saúde ou adoecimento. O segundo estuda o estresse como principal componente no adoecimento mental dos trabalhadores, por exemplo.

O primeiro modelo, desenvolvido por Christophe Dejours, irá levar em consideração a organização de trabalho prescrita (formal e informalmente). Além disso, também a organização do trabalho real (a forma possível e realista de se trabalhar). 

Segundo o autor, o desencontro entre as determinações do trabalho e a capacidade real de cumpri-lo levaria ao adoecimento psíquico. Isso já que o trabalhador, para cumprir as determinações, teria de criar estratégias diversas, recorrer a transgressões, aumentar seu nível de esforço etc.

Nos estudos sobre estresse, entende-se que deve haver um equilíbrio entre as exigências e a capacidade de realização, entre a tensão do desafio com a aprendizagem. Além disso, também ter o suporte social como ambiência geral.

Assim, algumas situações se encaixam nessas teorias e representam riscos para a saúde mental dos colaboradores no ambiente de trabalho. Destacam-se:

  • jornadas de trabalho e tarefas excessivas;
  • subutilização de habilidades ou exigências acima das capacidades do trabalhador;
  • falta de autonomia;
  • cultura organizacional tóxica;
  • assédio moral, sexual ou bullying;
  • atribuições incertas e inespecíficas;
  • insegurança de trabalho, pagamento, ou baixo investimento no desenvolvimento da carreira.
saúde mental no ambiente de trabalho

Consequências da falta de cuidado com a saúde mental no ambiente de trabalho

  • Produtividade e qualidade do trabalho: um transtorno ou sofrimento mental afetam a capacidade de atenção, memorização e fluidez cognitiva. Isso limita a capacidade de produzir bem, tomar iniciativa e se motivar para o trabalho.
  • Aumento do absenteísmo e presenteísmo: se não for submetido a um tratamento adequado, o sofrimento psíquico torna-se grave. Traz consequências também para a saúde física e torna-se incapacitante para o cumprimento das tarefas diárias. De acordo com o Instituto Nacional do Seguro Social(1), somente no ano passado, 209.124 mil pessoas tiveram de ser afastadas devido a transtornos mentais como depressão, ansiedade e demência.
  • Aumento do risco de acidentes de trabalho e doenças ocupacionais: a incapacidade de funcionar plenamente pode levar a sérios acidentes de trabalho e, como já citado, a doenças ocupacionais.
  • Desmotivação e insatisfação dos colaboradores: em geral, não só um adoecimento psíquico por si só causam desmotivação e insatisfação. O ambiente também corrobora para o adoecimento gera descontentamento e infelicidade para os colaboradores.

Como promover a saúde mental no ambiente de trabalho

A promoção da saúde mental no ambiente de trabalho se dá quando se assegura que a rotina do trabalho, as tarefas e a ambiência sejam baseadas em objetivos realistas. Assim, devem considerar as capacidades de cada colaborador, e permitir que o trabalho seja uma parte integrante de sua vida, e não o centro.

Dessa maneira, deve-se investir em políticas e práticas de gestão que alinhem expectativas, que permitam a produtividade saudável. Além disso, devem dar aos colaboradores os recursos e caminhos necessários para alcançar seus objetivos de trabalho.

Junto disso, tornar parte da cultura organizacional o diálogo aberto e a escuta ativa. As necessidades e obstáculos no cotidiano de cada um se negociam por meio da livre expressão. Assim, o trabalhador deve ter um espaço para apontar limitações e propor mudanças.

Ações de sensibilização e conscientização sobre o tema são importantes para que uma situação de sofrimento não seja ignorada. Para que as pessoas, cada vez mais, entendam suas diferenças e suas capacidades e possam criar espaços produtivos para cada um, por exemplo.

Por fim, apostar na Implantação do Canal de Denúncias é uma forma muito eficiente de se identificar situações de assédio, bullying, violência e outras irregularidades que podem levar os colaboradores a um sofrimento psíquico.

O Canal de Denúncias permite que colaboradores façam um relato seguro e anônimo de quaisquer situações irregulares. Por meio dele, esses relatos são recebidos por profissionais qualificados e encaminhados para resolução.

Dessa forma, empresas que possuem um Canal de Denúncias são mais seguras, têm menos perdas financeiras, têm uma imagem mais sólida no mercado, e colaboradores psiquicamente saudáveis

banner e-book canal de denúncias saúde mental no trabalho

Conclusão

As estratégias de prevenção do adoecimento e promoção de saúde mental no ambiente de trabalho devem estar alinhadas à criação de um ambiente em que a produtividade seja baseada em expectativas e objetivos reais e alcançáveis, e em que o estresse seja limitado ao nível de estimulação e motivação.

Investir em saúde mental dos trabalhadores não é somente uma estratégia de produtividade, mas de sustentabilidade de longo prazo. É, além disso, garantir direitos e prezar pelo bem-estar das pessoas que trabalham e são afetadas pelas atividades da organização.

Assim, ter um Canal de Denúncias é fundamental para assegurar que os colaboradores tenham um ambiente seguro para o trabalho, podendo relatar, quando for o caso, as situações que causam o seu sofrimento.

Quer saber como funciona o Canal de Denúncias? Confira o vídeo abaixo:

Fonte:
(1) https://tinyurl.com/mrxf7bhw

4.8/5 - 190 votos

Solicite um orçamento gratuito em apenas 3 passos:

Saiba como contratar em apenas 3 passos: